Home - Voleibol - Voleibol Mundial - Mercado da Bola – Superliga 2012/2013
Veja o que mudou nos times e quando começa nova edição da Superliga.

Mercado da Bola – Superliga 2012/2013

Sem um dia definido ainda, sabemos apenas que a nova edição da Superliga começará em Novembro. A edição Masculina contará com 12 equipes divididas em 2 grupos e o sistema será o mesmo do ano passado, com playoffs após turno e returno, onde os 8 primeiros se classificam e jogam em cruzamento olímpico na fase seguinte. Nos playoffs todos os jogos serão de melhor de 3, exceto a final, em jogo único.

As equipes veem com mudanças, seja de técnicos, jogadores ou até mesmo de patrocínio. A maior novidade fica por conta da Super Imperatriz Vôlei, antigo Cimed/Sky. A prefeitura de Florianópolis ficou sem seus dois maiores patrocínios para essa temporada após o fracasso na temporada passada. Muitos atletas como giba e Gustavo deixaram o Clube e outros, como Rodrigão, estão pendentes. Confira abaixo os 12 clubes e suas mudanças.

• BMG/São Bernardo: A equipe chefiada pelo assistente técnico da seleção brasileira, Rubinho, vem com pouquíssimas mudanças. Confirmadas até agora somente a saída do ponteiro Túlio que foi pro Sada/Cruzeiro. Ainda sem renovação estão o oposto reserva Alemão e o central Matheus, mas falta pouco para assinarem.

SESI-SP: Ainda a frente da equipe paulistana o ex-campeão olímpico Giovane Gávio teve muitas reformulações no time. Japa foi para o UFJF, o ponteiro Enoch para o Funvic, o também ponteiro Diogo mudou para o Medley/Campinas, o oposto Wallace Martins não renovou e ao que tudo indica tem contrato quase certo com um time não revelado do exterior, e o levantador Jotinha se transferiu para o Apav/Canoas. Em contrapartida chegaram reforços: Éder, central da seleção brasileira veio do Florianópolis, o ponteiro Mão veio do Medley/Campinas, o levantador Everaldo (Vevê) do Volta Redonda e o repatriado ponteiro Cléber, do Piacenza.

Vôlei Futuro: Finalista na edição passada a equipe de Araçatuba é um dos times que mais mudanças teve para essa temporada. De saída do clube o líbero Mario Jr. foi para o RJX, e seu reserva, Thiago Brendle, foi para o Funvic/Midia fone. Os ponteiros Bob e Piá foram jogar na Romênia, e o cubano Camejo foi para Ásia, jogar em um clube Coreano. O também ponteiro Dentinho se transferiu para o Apav/Canoas. Os opostos também não ficaram – Leozão foi para o Volta Redonda e Lorena mudou para o SESI-SP. Por fim foram para o Vivo/Minas o levantador Evandro e central Maurício. O levantador Ricardinho renovou com o time e ainda chegaram alguns reforços: O líbero Polaco e o ponteiro Bruno Temponi vieram do Vivo/Minas, repatriado de Portugal chegou o oposto Najari. Do Londrina, rebaixado na edição passda, vieram o oposto Caio e o central Ialisson.

Apav/Canoas: Estreante na Série A o time paulista é o atual campeão da Série B e, claro, tinha que se reforçar para enfrentar os gigantes. O principal reforço do time é o ídolo André Nascimento, ex-oposto da seleção brasileira, que veio do Japão. Mas não é só ele que veio de fora, diretamente da Polônia o ponteiro Luciano Bozko também estreará na equipe. Além deles o central Gustavo do Florianópolis (ex-seleção), o ponteiro Dentinho do Vôlei Futuro e do Montes Claros o central Salsa e o levantador Rafinha. Pra completar os reforços o ponteiro Enoch veio do SESI-SP. A equipe conta, apesar de todas as contratações, com o entrosamento, já que nenhum atleta deixou o time.

Medley/Campinas: A equipe campineira não renovou com vários atletas e nem com o técnico Cacá Bizzocchi. Até agora os atletas sem clubes, dispensados pelo Medley são os ponteiros Aranha, André Lukianetz e Bruno Zanuto, o oposto Bob, o levantador Eykman, os centrais Evaldo e Pedrão e o líbero Lukinha. Quase fora do clube também está o levantador Fidele. Vendidos foram apenas dois, o ponteiro Mão, para o SESI-SP e o central Robinho para o UFJF. Para reforçar o time a principal contratação foi o técnico Marcos Pacheco. Além dele alguns atletas foram contratados – só do Florianópolis foram 3, o oposto Rivaldo, o levantador Murilo e o ponteiro Renato Russomano. Ainda vieram o líbero Alan do RJX, o ponteiro Diogo do SESI-SP e o meio de rede Orestes do Vivo/Minas. Pra fechar as contratações o cubano Rolando Despaigne, que veio do Iraklis, da Grécia.

Funvic/Midia Fone: Vice-campeão da série B, o Funvic (também chamado de Pindamonhangaba) ganhou a oportunidade de jogar a Série A depois que o clube do BMG/Montes Claros não acertou patrocínio para essa temporada. O Funvic é o time que menos se tem notícia sobre saídas e contratações. A única que tenho notícia até agora é a da contratação do líbero Thiago Brendle do Vôlei Futuro.

Super Imperatriz Vôlei (Florianópolis): Com a perda dos principais patrocinadores o time catarinense perdeu também grandes estrelas como o ponteiro Giba que foi trocado em negociação pelo também ponteiro Thiago Gelinks do Bolívar da Argentina. Outras perdas importantes foram a do levantador Bruninho para o RJX e a do central Gustavo para o Canoas. Éder, meio de rede, foi para o SESI-SP e outros três jogadores se transferiram para o Medley/Campinas – são eles o ponteiro Renato Russomano, o oposto Rivaldo e o levantador reserva Murilo. Além deles o ponteiro passador João Paulo Tavares foi internacionalizado para a equipe italiana do Castellana Grotte. Sem conseguir substituir devidamente os desfalques, além de Gelinks, já citado, o clube só contratou até o agora o ponteiro Dirceu, repatriado do Amriswil, da Suíça.

Volta Redonda: A equipe do técnico Sérgio Negrão, que não conseguiu classificação para os playoffs da edição passada, vem com algumas mudanças. A principal é a contratação do central Vini do RJX, mas não foi só ele que veio. Leozão, oposto do Vôlei Futuro e o ponteiro Renato Hermely que voltou da Espanha também são reforços. Ainda em negociação o ponteiro Edinho e o levantador Rodrigo Ribeiro, ambos do Vivo/Minas estão para acertar contrato. De saída o central Aureliano foi para o UFJF e o levantador Everaldo para o SESI-SP. Em dúvida, o líbero Daniel Rossi ainda não renovou com a equipe.

UFJF: A equipe do técnico Maurício Bara quase foi rebaixada na edição 2011/2012 da Superliga. Para não repetir o fiasco a equipe investiu em contratações. Para isso trouxe o ponteiro Japa e o oposto Juninho do SESI-SP, o líbero Fábio Pais do Montes Claros, os centrais Robinho do Medley/Campinas e Aureliano do Volta Redonda e Victor Hugo do Vivo/Minas. Do Sada/Cruzeiro vieram o ponteiro Hugo e o central Lucão. Do Canoas o oposto Luan. Do estrangeiro o levantador Ricardinho, que estava em Portugal e o oposto Anderson que estava na França. Mas alguns atletas também saíram. Sem renovar contrato o central Jardel, o oposto Pedrinho e o líbero Juliano. Além deles Brasília (Daniel Roger) foi para o Sarmiento del Chaco (ARG), Caporal, o líbero, transferiu-se para o Vivo/Minas e o ponteiro Guilherme Hage para o Vôlei Futuro.

Vivo/Minas: Um das mais clássicas equipes do vôlei brasileiro o Minas perdeu alguns jogadores importantes como o ponteiro Manius, que foi pro RJX, o líbero Polaco que foi para o Vôlei Futuro e o central Orestes que foi contratado pelo Medley/Campinas. Além disso o técnico Marcelo Fronckowiak foi para o RJX. Para o seu lugar foi contratado Horácio Dileo. O Minas ainda teve como desfalque Rodrigo Ribeiro, o levantador foi para o Volta Redonda e o ponteiro Bruno Temponi também foi para o Vôlei Futuro. Para cobrir as perdas chegaram o líbero Matheus Caporal do UFJF, o ponteiro Lucas Lóh, do Cruzeiro e do Vôlei Futuro vieram Maurício, o central, e o levantador Evandro. Por fim, do exterior, mais precisamente do Fenerbahçe da Turquia, o ponteiro argentino Rodrigo Quiroga.

Sada/Cruzeiro: Por último, mas não menos importante, o atual campeão da Superliga teve poucas mudanças na equipe. Apenas a saída do ponteiro Lucas Lóh e a contratação do ponteiro Túlio do BMG/São Bernardo. A surpresa é a grande contratação do ponteiro da seleção cubana Yoandry Leal.

Essa é a lista dos 12 clubes que estarão disputando a edição 2012/2013 da Superliga. Os grupos ainda não estão definidos. A única mudança não prevista foi a saída da equipe mineira de Montes Claros que não conseguiu acertar técnico e patrocínio para essa temporada, cedendo lugar para o vice-campeão da Série B, o Funvic/Midia Fone.

Regionalmente falando o Estado de São Paulo foi o que mais tem representantes na competição: 5 equipes. Minas Gerais cedeu 3 equipes, o Rio de Janeiro 2 e o Rio Grande do Sul e Santa Catarina 1 equipe cada.

About Fernando Cottet

Scroll To Top